CONTATOS

SUGESTÕES DE TEMAS PARA POSTAGEM OU DÚVIDAS: 8100-6352 ou nutri.peretti@hotmail.com

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Café verde acelera o metabolismo e tem ação antioxidante
15 de janeiro de 20140
1501976_10151836674842361_1259192396_n
Foto: Aline Mendes
Quem costuma circular por lojas de produtos naturais já deve ter visto potes de café verde nas prateleiras. Curiosa, fiz uma entrevista com a Nutricionista Paula Peretti de Freitas sobre o tema.
Segundo ela, é o grão de café em sua forma original, sem passar pelo processo de torrefação. Processo que é um antioxidante novo e natural, que combate os radicais livres e possui outros benefícios.
BENEFÍCIOS
1 – Termogênico - Contém cafeína, termogênico natural, que quebra a gordura corporal, acelera o metabolismo e auxilia na redução de peso quando associado a uma dieta saudável e a atividades físicas orientadas.
2 – Antioxidante - Possui ácido clorogênico, um antioxidante capaz de combater os radicais livres e evitar o envelhecimento celular precoce.
3 – Possui ação estimulante - A cafeína, além de efeito termogênico, atua inibindo o sono, causando assim um efeito estimulante.
4 – Ajuda no tratamento de diabetes Tipo II - Pela ação do ácido clorogênico associado à cafeína. Juntas, estas substâncias diminuem a absorção de glicose no intestino e inibem a enzima responsável pela liberação de açúcares do fígado para o sangue. Assim, evitam o aumento dos níveis glicêmicos. Os antioxidante presentes no café verde também são responsáveis pelo efeito de melhora na sensibilidade à insulina e no controle glicêmico.
5 – Pressão arterial - Alguns estudos mostraram que o ácido clorogênico é capaz de melhorar a função endotelial, reduzir a hipertrofia vascular e reduzir a pressão arterial em indivíduos adultos.
00957fc3Foto: Reprodução
AUXILIA NA REDUÇÃO DE PESO
Estudos sugerem que o consumo de café verde induz a perda de peso pelo aumento da termogênese, uma vez que se verifica um aumento do gasto energético e da lipólise após a ingestão de cafeína.
VERSÕES ENCONTRADAS NO MERCADO
Pode ser encontrado em farmácias de manipulação e lojas de produtos naturais em forma de cápsulas com o extrato do café verde ou em forma solúvel para preparar chás ou sucos.
UTILIZAÇÃO DO SUPLEMENTO
O suplemento pode ser ingerido meia hora antes das refeições, almoço e lanche da tarde. A dose recomendada por dia, para um adulto, varia entre 200 e 400mg. É aconselhável consultar um nutricionista para que se faça o uso correto do produto e possibilidade o alcance dos resultados desejados.
CONTRAINDICAÇÕES
É contraindicado para indivíduos com hipotireoidismo, gastrite, úlceras gastroduodenais, problemas reumáticos, hepáticos e para pessoas com sensibilidade à cafeína. É importante também que gestantes e pacientes com doenças crônicas consultem o médico e o nutricionista antes de ingerirem o suplemento.
CUIDADOS COM A INGESTÃO
O suplemento deve ser suspenso em caso de aparecimento de algum dos sintomas a seguir: taquicardia, palpitações, insônia, ansiedade excessiva, tremores, dores de cabeça, náuseas. Pacientes que tenham insônia não devem utilizar o suplemento após as 20 ho
LINK PARA O BLOG BARRA DE CEREAL DO JORNAL ZERO HORA

domingo, 21 de julho de 2013


Nutricionista Paula Peretti de Freitas. CRN2-10025D
Rua Vigário José Inácio, 566 - Sala 1108.
(51) 8100-6352
www.nutricionistapaulaperetti.blogspot.com

terça-feira, 21 de maio de 2013




Com o avanço da gripe H1N1, devemos nos preocupar com o fortalecimento do sistema imunológico. Com uma reeducação alimentar isso torna-se mais fácil, pois a alimentação saudável melhora a imunidade.

Alguns alimentos específicos auxiliam para o desenvolvimento das defesas do organismo, esses são os aminoácidos, as frutas, as verduras, os cereais, os ácidos graxos insaturados, dentre outros.

Os aminoácidos que são de extrema importância para o organismo por sua função construtora e reparadora. Eles participam da formação de hormônios, enzimas e anticorpos. Alimentos básicos como o arroz e o feijão nos fornecem a maioria dos aminoácidos necessários para o nosso dia.

As frutas, as verduras e os cereais devem ser consumidos diariamente, pois fornecem vitaminas e sais minerais que melhoram a resposta imunológica.

A vitamina C contida em frutas como a acerola e a laranja, por exemplo, tem o poder de melhorar a resposta imunológica por auxiliar na produção de células de defesa.

Os ácidos graxos insaturados (Ômegas 3 e 6) têm o poder de melhorar a resposta imunológica quando associados a uma alimentação balanceada. Esses nutrientes estão em peixes e castanhas, como as nozes, castanha do Pará e caju.

Através de uma reeducação alimentar, é possível garantir o consumo de todos os nutrientes que o nosso organismo necessita para prevenir muitas doenças.


Saiba o que comer para manter sua saúde perfeita agendando uma consulta pelo telefone:

(51) 8100-6352 ou e-mail: nutri.peretti@hotmail.com



Consultório: Rua Vigário José Inácio, 566 / sala 1108 – 11º andar – Centro – POA- RS

terça-feira, 31 de julho de 2012


Nutricionista Paula Peretti de Freitas CRN 2 -10025  agora está atendendo também na L'OR CLINIQUE, uma clínica especializada em Estética corporal composta por equipe multidisciplinar que conta com Fisioterapeutas, Fonoaudióloga, Psicóloga e Nutricionista que atuam em parceria com Cirurgiões Plásticos. 

A clínica também conta com Pilates, Massoterapia, Day Spa, Acupuntura, Podologia e outros procedimentos estéticos!

Amplo e agradável espaço e estacionamento no local.

AGENDE SUA CONSULTA AGORA MESMO!
Para agendamentos o telefone é (51) 3233-7999.





domingo, 30 de janeiro de 2011

Alimentação saudável ajuda a controlar as emoções. ÔMEGA 3!



O cérebro é formado em maior parte por gordura e para que ele possa processar informações de forma fluída e flexível precisa também de uma gordura mais fluída e flexível



Você já deve ter visto diferentes tipos de gordura. Por exemplo, a gordura de carne bovina em temperatura ambiente é mais rígida do que a gordura vegetal. Sabendo que nosso cérebro é formado em maior parte por gordura, qual delas você escolheria para "alimentá-lo"?

Segundo o neuropsiquiatra e pesquisador, David Servan-Schreiber, a melhor escolha são as gorduras mais líquidas, em especial os ácidos graxos ômega 3. Por quê? Porque o cérebro é formado em maior parte por gordura e para que ele possa processar informações de forma fluída e flexível precisa também de uma gordura mais fluída e flexível.

Diferentes hábitos alimentares mostram o impacto do ômega 3 em nossa saúde. A depressão pós-parto costuma ocorrer de três a vinte vezes mais em países do ocidente do que em países do oriente. Tal discrepância se dá porque no oriente há maior consumo de peixes e mariscos, alimentos ricos em ômega três.

O ômega 3 é fundamental para a constituição do cérebro e manutenção do seu equilíbrio, é por isso que essas gorduras são a principal nutrição que o feto recebe pela placenta...É também por isso que as "reservas" da mãe que já são baixas na dieta ocidental caem de forma dramática nas últimas semanas da gravidez? e continuam diminuindo durante a amamentação, o que aumenta o risco da depressão pós-parto. Mães precisam de ômega 3 para si e para o bebê!

Servan-Schreiber também aponta a importância do ômega 3 para a redução de sintomas relacionados ao transtorno bipolar, ansiedade, depressão , esquizofrenia, insônia, fadiga, baixa libido e irritabilidade.

Veículo: GPS Net
Seção: Fórum
Data: 03/02/2010
Estado: RS


Fonte: Associação Brasileira de Psiquiatria.

Comer fast-food aumenta o risco de depressão



Comer gorduras saturadas detona a saúde mental, segundo um estudo espanhol que associa o consumo de fast-food e produtos industrializados à depressão. Estima-se que 150 milhões de pessoas no mundo sofram deste transtorno mental.


 
Para chegar a essa conclusão, os autores analisaram a DIETA diária e os hábitos de 12.059 pessoas por seis anos, e levaram em conta outros possíveis fatores para a depressão. No início da investigação, nenhuma delas sofria da doença, mas, ao final do estudo, 657 tiveram diagnóstico confirmado. Uma provável explicação é que a GORDURA TRANS, a ruim, a que inflama artérias do coração, tem o mesmo efeito nos neurônios.

 
Resultado: o grupo que fez alto consumo de GORDURA TRANS apresentou 48% de aumento no risco de depressão comparado com participantes que não ingeriram esta gordura, diz Miguel Ángel Martínez-González, das universidades de Navarra e Las Palmas de Gran Canaria (Espanha), principal autor da pesquisa, publicada na revista científica "PloS One".

 
- Descobrimos ainda que o azeite de oliva e as gorduras poliinsaturadas, abundantes em peixes, por exemplo, protegem contra doenças mentais - afirma o cientista.

 
Os dados talvez expliquem porque há maior incidência de depressão no Norte do que no Sul da Europa, dizem os autores. Em países como Espanha e Grécia há maior consumo de legumes e azeite de oliva, o que faz grande diferença na proteção do cérebro. Na Holanda, Noruega, Dinamarca, entre outros, a DIETA tem mais laticínios com gorduras saturadas, pães lambuzados de manteiga e bolos.

 

DIETA com frutas e peixes protege o cérebro

 
Um detalhe é que a pesquisa foi realizada numa população com baixo consumo de GORDURAS TRANS, de até 0,4% da energia total ingerida. E mesmo assim houve elevação do risco para depressão em quase metade dos participantes. Em populações de países onde o consumo de GORDURA TRANS é alto (nos Estados Unidos o índice alcança 2,5% da energia total diária), o perigo é ainda maior, acreditam os autores.

 
Há dois anos, outro estudo da Universidade de Londres analisou os dados de 3.500 funcionários públicos, com média de 55 anos, e chegou à mesma conclusão dos espanhóis. Nesse artigo, publicado na Revista Britânica de Psiquiatria, foi constatado que comer frutas, verduras e pescado aumenta a proteção contra sintomas depressivos. Os voluntários que faziam ALIMENTAÇÃO rica em comida processada apresentaram 58% mais chances de sofrer da doença.

 
O alto nível de antioxidantes de frutas e vegetais, assim como o folato, vitamina do grupo B encontrada em brócolis, espinafre etc, parece ter efeito protetor. Já a gordura poliinsaturada de peixes é importante para os neurônios.

 
Na avaliação do psiquiatra Geraldo Possendoro, professor do curso de especialização em Medicina Comportamental da Unifesp, uma hipótese para explicar a relação entre GORDURAS TRANS e depressão é que as pessoas estão mais estressadas e se alimentando mal.

 
- A GORDURA TRANS aumenta a produção de radicais livres nas células, gerando um desequilíbrio que talvez possa causar sinais de depressão.

 
Colaborou Jaqueline Falcão, da sucursal em São Paulo.

Fonte: O Globo

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

O sabor da tradição!

Artigo publicado na Revista Sempre Bem do mês de agosto.





quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

OBESIDADE INFANTIL




A prevenção da obesidade infantil é capaz de reduzir de forma significativa a ocorrência de doenças crônicas futuras, tais como as doenças cardiovasculares, que afetam 30% da população adulta brasileira.

Muitas vezes a reeducação alimentar é para a família inteira. É comum a criança acima do peso também ter um dos pais ou ambos nesta mesma condição. Veja abaixo quais as recomendações da Sociedade Brasileira de Pediatria para reeducação alimentar de crianças obesas:

-Ao invés de proibir alimentos, o melhor é controlar a porção a ser ingerida.

-Estabelecer horários fixos e cinco ou seis refeições diárias com um intervalo de três horas entre elas.

-Comer devagar e em local tranqüilo, longe da televisão, videogame ou computador.

-Diminuir gradualmente a ingestão de líquidos durante as refeições, oferecer um copo de suco, no máximo. Preferir sempre os sucos da fruta, que contêm mais vitaminas e sais minerais.

-Optar por sanduíches saudáveis, com recheios menos gordurosos, como ricota, embutidos de aves, vegetais folhosos, tomate e queijo magro.

-Utilizar menos óleo na preparação dos alimentos, preferir pratos assados ou grelhados; remover a pele do frango antes do preparo. Diminuir a quantidade de alimentos gordurosos e de frituras.

-Aprender a ler a tabela dos alimentos e a evitar os mais calóricos e os ricos em gordura.

-Aprender a fazer trocas, biscoitos recheados por biscoitos sem recheio e leite integral pelo leite desnatado, por exemplo.

-Incentivar o consumo de frutas (com casca, sempre que possível), verduras, e evitar consumo de alimentos congelados e pré-prontos.

-Cuidar da apresentação do prato, para favorecer o paladar.

-Não oferecer sobremesas lácteas logo após as refeições. Esperar pelo menos uma hora, pois o cálcio contido nessas sobremesas interage com o ferro consumido na refeição, prejudicando a absorção de ambos.

-Estimular a criança a tomar bastante água ao longo do dia, inclusive na escola.

-Substituir os salgadinhos de pacote por pipoca feita em casa com óleo de soja.

-Retirar o saleiro da mesa.

-Evitar refrigerantes, que, além de conterem muito açúcar, prejudicam a saúde dos ossos, causam irritabilidade gástrica e cáries.

-Incentivar brincadeiras e atividades físicas ao ar livre.

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Valor Nutritivo do Pão.


Apesar do pão ser conhecido como vilão do excesso de peso, se consumido adequadamente, ele é uma fonte importante de carboidratos, proteínas de alto valor biológico, vitaminas e sais minerais.

É rico em vitaminas do complexo B, rico em ferro, fósforo e magnésio, que são fundamentais para o desenvolvimento e saúde do organismo.

Apesar de possuir um alto valor energético, o pão pode e deve ser utilizado em uma alimentação saudável, desde que sejam respeitados os fatores qualidade e quantidade.

A composição nutricional do pão depende do tipo e do grau de refinamento da farinha que é utilizada no processo de fabricação.

Ele se torna mais rico em minerais, vitaminas e fibras quando é utilizada farinha integral, e grãos integrais na sua composição.

E o mais importante de tudo está na atenção que devemos dar aos acompanhamentos do pão, como margarina, manteiga e queijos gordurosos. Esses sim, agregam valor calórico excessivo, têm um conteúdo lipídico elevadíssimo e devem ser evitados.

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Alimentos aceleram o metabolismo e ajudam a perder peso.





Beber água gelada ou chá verde, comer alguns tipos de pimenta, ingerir gengibre e produtos que contenham ômega 3 são uma ajuda e tanto para acelerar o metabolismo e, por sua vez, favorecer a perda de peso.

Tais alimentos são chamados de termogênicos. Quando digeridos, aumentam o metabolismo e a temperatura interna corporal. Com isso, queimam calorias e ajudam a emagrecer. Mas para terem efeito devem ser ingeridos com regularidade no dia-a-dia.

É importante que se mantenha uma alimentação equilibrada e a prática de exercícios físicos, freqüentemente, para obter os resultados esperados.

O metabolismo é o conjunto de transformações que os nutrientes e outras substâncias químicas sofrem no interior do nosso corpo, produzindo energia suficiente para mantê-lo funcionando. É influenciado por inúmeros fatores, tais como genética, idade, peso, altura, sexo, temperatura ambiente, dieta e prática de exercícios.

Efeitos de alguns alimentos termogênicos:

Água gelada: Beber oito copos de água gelada por dia queima cerca de 200 calorias. Isto porque o organismo gasta energia para elevar a temperatura da água de 5ºC para 37ºC, que é a temperatura corporal interna.


Pimenta caiena (pimenta vermelha): Acelera o metabolismo em 20%, porque aumenta a circulação e a temperatura do corpo, além de melhorar a digestão. Tem a propriedade de retirar gorduras das artérias.

Gengibre: Aumenta o metabolismo em 20%. Pode ser usado cru, refogado ou em forma de chá. Outra opção é bater no liqüidificador com aipo, laranja, maçã ou qualquer outra fruta.

Ômega 3: Aumenta o metabolismo basal, ou seja, queima calorias. Funciona como antiinflamatório, previne e trata doenças cardiovasculares. Fontes: óleo de prímula, óleos de peixes (como salmão e sardinha) e semente de linhaça.

Chá verde: Reduz a absorção de açúcar no sangue, inibindo a ação da amilase (enzima responsável pela digestão de carboidratos). Diminui a compulsão por carboidratos, acelera o trânsito intestinal e aumenta o metabolismo, ajudando na queima de gorduras.

Outras dicas para manter o metabolismo acelerado:

- Fracionar as refeições entre cinco e seis vezes ao dia;

- Comer devagar e mastigar bem os alimentos;

- Reduzir o consumo de alimentos gordurosos e ricos em açúcar e farinhas refinadas;

- Dar preferência aos alimentos ricos em fibras (grãos integrais, legumes, frutas e verduras), pois levam mais tempo para serem digeridos e, por isso, aceleram o metabolismo.


sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Flacidez – Alimentação para acabar com a flacidez

A flacidez é um problema que assola a maioria das mulheres! E quando chega o verão e que os corpos estão mais expostos? Vem aquele medo de parecer uma “gelatina feliz” em plena praia ou clube! É um desespero total! Vocêsabe o que fazer para acabar com a flacidez? Não existe mágica! Nem creme, nem aparelho, nem massagem. Isso tudo só atenua! É preciso mexer de dentro pra fora!Veja como acabar com a flacidez do seu corpo!

A alimentação saudável contribui para evitar a flacidez na medida em que você evita excessos e acaba com aquele famoso efeito “sanfona” (não manter o peso, processo de ficar engordando e emagrecendo) e, ao mesmo tempo, tira de seu cardápio alguns alimentos e/ou substâncias que favorecem a flacidez como, por exemplo, a gordura, o excesso de açúcar.

O mais importante na alimentação de quem quer acabar definitivamente com a flacidez é comer alimentos que combatem os radicais livres, afastar das gorduras saturadas do cardápio e ter no cardápio alimentos que contribuem para aumentar o tônus muscular!

Para conseguir isso tudo, você precisa evitar alimentos com alto índice glicêmico (massas, doces em geral e algumas frutas – manga, abacate, por exemplo). Esses alimentos movimentam a insulina, hormônio que estoca o excesso de açúcar na forma de gordura no corpo! Os carboidratos de baixo índice glicêmico estão liberados (frutas, hortaliças, leguminosas)!

Já os radicais livres, você consegue combater com a ingestão dos chamados antioxidantes que contém vitamina A, vitamina C, vitamina E, os carotenóides e o selênio. Essas substâncias podem ser encontradas alguns em alimentos verdes, amarelos, frutas cítricas, grãos integrais, tomate, cenoura, folhas em geral, leite, peixes e carnes. Ou seja, se você tiver uma alimentação saudável, rica em fibras, colorida e variada, felizmente, vai garantir a existência desses alimentos no seu prato! Tire da sua alimentação alimentos como os embutidos, enlatados, biscoitos e salgadinhos porque esses liberam radicais livres.

Não deixe de ingerir proteínas! A carne é a maior fonte de proteínas, mas você também pode encontra-la em menor quantidade em cereais integrais, feijões e alguns legumes e folhas. Coma colágeno! Isso mesmo! Colágeno pode ser encontrado em quantidade significativa na gelatina e contribui para fortalecer os tecidos! Mas cuidado se for ingerir gelatina comum, pois possui açúcar e você deve comer nos horários certos, ou seja, no horário que seria o da sobremesa em sua refeição!

Por fim, não se pode esquecer da hidratação do corpo! Beba muita água. Quando o corpo fica desidratado, em geral, o metabolismo cai.

Seguindo um tipo de alimentação contendo esses alimentos citados, você vai garantir a prevenção e melhora do efeito “gelatina” e vai também tratar daquelascelulites que ficam querendo rondar seu corpinho! Deixe tudo durinho! Mude sua alimentação! Não tem como conseguir bons resultados senão fizer um pouco de esforço e um deles parte da alimentação! Esse é o princípio para acabar a flacidez! Lembre-se que só isso não adianta.


Fonte: muilher.palpitedigital

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

PRESSÃO ARTERIAL X ALIMENTAÇÃO


Reduzindo sua pressão arterial com a alimentação






Os alimentos que você come podem afetar a composição química de seu sangue e a pressão arterial de maneira significativa. Felizmente, uma dieta boa para seu coração não tem de ser uma agonia para seu paladar. Aqui vão algumas sugestões para fazer as escolhas de alimentos certas para a pressão alta:

Siga o DASH: pesquisa apoiada pelo NHLBI levou ao desenvolvimento de um plano de alimentação que pode prevenir e ajudar a tratar a pressão alta.


Diminua o sal: a pesquisa usando a dieta DASH e diferentes níveis de sódio nutricional confirmou o que tem sido aconselhado há anos: reduzir o sódio e o sal ingeridos pode ajudar a diminuir a pressão arterial. Algumas pessoas são especialmente sensíveis a sal e sódio e devem tomar um cuidado maior com as quantidades consumidas.

Ser sensível ao sal (ou sódio) significa que você tem uma tendência a reter líquidos quando ingere sal demais, provavelmente por causa de um defeito na capacidade que seus rins têm de se livrar do sódio. Seu corpo tenta diluir o sódio no sangue conservando líquidos. Isso força os vasos sangüíneos a trabalharem de maneira mais forte para fazer circular o volume adicional de sangue.

O plano DASH para uma saúde melhor

Praticar o Método de Interrupção da Hipertensão pela Alimentação (DASH) pode ajudar a prevenir ou reduzir a pressão alta. Para seguir esse plano de alimentação:

· Escolha alimentos que possuam pouca gordura saturada, colesterol e gordura total. Por exemplo, carne magra, aves e peixe.

· Coma muitas frutas e vegetais, aproximadamente de oito a dez porções por dia.

· Inclua duas ou três porções de laticínios desnatados ou semidesnatados por dia.

· Prefira os alimentos integrais, como pão, cereais e massas integrais ou de trigo integral.

· Coma nozes, sementes e feijões secos, de quatro a cinco porções por semana (uma porção é igual a 1/3 de xícara ou 42 gramas de nozes, 2 colheres de sopa ou 14 gramas de sementes, ou 1⁄2 de feijões ou ervilhas cozidas e secas).

· Pegue leve nas gorduras adicionadas. Escolha margarina leve, maionese light, molho de salada light e óleos vegetais insaturados (como azeite, milho, canola ou açafrão).

Diminua os doces e bebidas com açúcar.

As terminações nervosas nos vasos ficam superestimuladas e começam a mandar comandos para que eles se contraiam. E isso dificulta ainda mais o bombeamento do sangue pelo coração, eventualmente fazendo com que a pressão arterial se eleve. Algumas pessoas são menos sensíveis aos efeitos do excesso de sal. É recomendavel consumir um máximo de 2,4 gramas (2.300 miligramas) de sódio por dia. Isso é igual a 6 gramas (cerca de uma colher de chá) de sal de cozinha por dia. Dependendo do quão alta é sua pressão, o médico pode recomendar ainda menos.

Lembre-se: os
6 gramas incluem todo o sal e sódio consumidos, incluindo o que é usado no preparo dos alimentos, o sal à mesa e o adicionado em alimentos preparados e processados.

Até 75% do sal em nossa alimentação vem de alimentos processados. Somente 10% do sal que comemos está lá naturalmente, e cerca de 15% é adicionado durante o preparo e colocado à mesa. Mas já que o gosto pelo sal é aprendido, é possivel reeducar seu paladar para consumir menos sal.


Antes de tentar substituir o sal, fale com seu médico ou nutricionista. Muitos deles contêm cloreto de potássio, e o excesso de potássio pode ser perigoso, especialmente quando combinado com certos medicamentos.

Acumule potássio: algumas pessoas que têm hipertensão tomam diuréticos tiazídicos que causam a perda de potássio, e por isso recebem recomendações de que devem comer uma banana por dia para o repor. Mas os pesquisadores agora acham que potássio extra pode ser uma boa idéia para todo mundo. Como se já não fosse ruim comermos tanto sódio, nós ainda comemos muito pouco potássio. É o equilíbrio entre o sódio e o potássio que os pesquisadores acreditam ser importante para a pressão arterial.

Mas não vá comprar suplementos de potássio ainda. Isso pode ser perigoso. Potássio demais e de menos pode dar início a um ataque cardíaco. Por questão de segurança, fique com os alimentos ricos
em potássio. Esses alimentos incluem bananas, laranjas, batatas, tomates e leite.

Nota: se você foi diagnosticado com pressão alta e está tomando um diurético que elimina potássio (pergunte a seu médico ou farmacêutico se não tiver certeza), ou se tiver doença nos rins, pergunte a seu médico se precisa de potássio extra antes de iniciar o tratamento.

Armazene cálcio: seu coração precisa de cálcio para manter o ritmo correto e seus rins precisam de cálcio para regular o equilíbrio sódio/água de seu corpo. Pesquisas mostraram, no entanto, que pessoas com pressão alta geralmente não ingerem cálcio suficiente nos alimentos. Outros estudos confirmam que conseguir uma dose extra de cálcio pode até reduzir a pressão arterial. Mas esse efeito nem sempre é visto com suplementos de cálcio. Em vez deles, coloque aposte em alimentos ricos em cálcio.

Alho
também é bom: vários pesquisadores apontaram a capacidade do alho de reduzir a pressão do sangue. Além disso, também é um ótimo substituto para o sabor do sal (lembre-se de que estamos cortando o sal).

O mundo é das frutas e vegetais:
os vegetarianos têm uma incidência muito menor de pressão alta. E você também pode se beneficiar dessa abordagem sem se tornar vegetariano. Aumente suas porções diárias gradativamente, encaixando uma ou duas porções extras em cada refeição. Provavelmente, você vai estar comendo menos gordura e sal, e mais fibras e potássio (além do fato de que pode perder peso). Esses benefícios vão ajudar a reduzir sua pressão arterial.

Não precisa cortar o café:
a cafeína não parece estar associada com a hipertensão. Embora ela possa aumentar sua pressão temporariamente, seu corpo se adapta ao nível de cafeína se você costuma beber uma certa quantidade de café, chá ou bebidas à base de cola todos os dias, e sua pressão arterial não é mais afetada por essa quantidade.